Você está visitando o Instituto Cultural da Dinamarca no Brasil.  Explore outros lugares no mundo onde também trabalhamos. Created with Sketch.
01 · 04 · 2021

Ponte Nórdica No Ar II

Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura e Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Instituto Cultural da Dinamarca e Iniciativa Cultural apresentam: PONTE NÓRDICA NO AR 

 

Plataforma de streaming do Festival Ponte Nórdica amplia seu intercâmbio na área do audiovisual, renova catálogo com 17 filmes e promove quatro ações formativas em parceria com o Instituto Iniciativa Cultural e com o apoio institucional dos consulados e embaixadas dos países nórdicos.

 

Durante dois meses, o público brasileiro poderá ter acesso, gratuitamente, a obras produzidas na Islândia, Groenlândia, Dinamarca, Finlândia, Suécia e Noruega, que abordam importantes temas da atualidade como imigração e direitos humanos.

 

Com mais de 2mil pessoas inscritas desde o seu lançamento em outubro do ano passado, a plataforma Ponte Nórdica no Ar segue como o lar dos filmes nórdicos nas casas dos brasileiros pelo país inteiro – online, no ar e disponível gratuitamente através de www.pontenordica.com.br

A cada semana novos filmes entrarão no catálogo. A novidade fica por conta da escolha de um seleto repertório do gênero Nórdic Noir. Essa denominação foi criada pelo mercado americano e europeu para designar a ficção policial dos países nórdicos, com seu estilo realista e toque sombrio, que ganhou grande popularidade no cinema, assim como a literatura. Seus protagonistas são tipicamente retratados de uma forma que vai além da dualidade de ser herói ou vilão e através dessas narrativas os personagens lançam luz sobre as falhas da sociedade. Isso pode ser observado nos quatro episódios da série Departmento Q, que apresenta a resolução de crimes dramáticos, ligando-os ao declínio do estado de bem-estar social nórdico.

 

A maneira nórdica de fazer séries policiais com o ambiente lúgubre, moralmente complexo e sem grandes metáforas, pode parecer um paradoxo tendo em conta que os países nórdicos ocupam, invariavelmente, os primeiros lugares na lista das nações mais felizes do planeta”, observa Tatiana Groff, curadora da plataforma.

 

Como parte da proposta curatorial, atuando como ponte no intercâmbio entre culturas nórdicas e brasileiras, a plataforma apresenta ainda possibilidade de discussão através de workshops sobre o campo do audiovisual e suas tendências contemporâneas, levantando questões sobre a propagação do streaming como método de distribuição.

 

O ambiente familiar, as relações de amor, a sexualidade e o cotidiano são eixos que norteiam boa parte das narrativas dos filmes produzidos por esses países. Esse traço cultural de olhar e cuidar do que está dentro (da casa, de si) ganhou expressões estéticas e até linguísticas: basta mencionar o prestígio do design de interiores nórdico ou o intraduzível termo hygge (do dinamarquês e norueguês), que expressa algo como acolhimento e aconchego.

 

No cinema, essa característica se traduz prioritariamente na criação de dramas e é potencializada por uma marca própria dessa produção: o orçamento relativamente baixo aliado à existência de escolas tradicionais de roteiro e atuação.

 

Ӄ um cinema que, antes de qualquer coisa, cria narrativas envolventes e profundamente humanas, ressalta a curadora.

A OVELHA NEGRA

Direção | Grímur Hakonarson

(2015) Islândia | 93 minutos | Drama |

Sinopse | Em um tranquilo vale de fazendas agrícolas na Islândia, dois irmãos que não se falam há 40 anos, precisam se unir para defender o que eles têm de mais valioso que são suas ovelhas.

Curiosidades| Representante da Islândia para concorrer ao Oscar 2016 na categoria de Melhor Filme Estrangeiro | Melhor Filme na categoria Un Certain Regard no Festival de Cannes.

BLIND

Direção | Eskil Vogt

(2014) Noruega | 96 min | Drama | 18 anos

Sinopse | Ingrid acabou de perder a visão. Ela se esconde na segurança de sua casa, onde se sente em controle e pode ficar a sós, apenas com seu marido e seus pensamentos. Seus verdadeiros problemas, porém, não estão no mundo exterior, e sim dentro dela mesmo. Logo, seus medos mais obscuros vão tomar conta de seu mundo de fantasias.

Curiosidades | Vencedor de Melhor Filme Europeu na Mostra Panorama Berlim; Melhor Filme Estrangeiro de Drama e Melhor Roteiro no Festival de Sundance; Primeiro filme do diretor e roteirista Eskil Vogt.

A RESISTÊNCIA DE INGA

Direção | Grímur Hákonarson

(2019) Islândia, Dinamarca, Alemanha e França

Sinopse | Inga é uma produtora de laticínios em uma pequena comunidade agrícola islandesa, e acaba de ficar viúva. Seu marido tomava conta das finanças da fazenda, e agora ela precisa assumir à frente do negócio. Ela decide começar uma vida nova em seus próprios termos, se rebelando contra a corrupção e injustiça em um esquema comandado por uma poderosa cooperativa local.

AURORA

Direção | Mila Tervo

(2019) Finlândia | 105 min | 12 anos

Sinopse | Certa noite, em uma barraca de cachorro-quente na Lapônia finlandesa, Aurora, conhece o iraniano Darian. Após saber da existência da filha de Darian, Aurora concorda em ajudá-los a conseguirem asilo, apresentando várias mulheres a ele. Quando surge a candidata perfeita à esposa, Darian e Aurora se deparam com uma escolha difícil.

O DIA MAIS FELIZ DA VIDA DE OLLI MAKI

Direção | Juho Kuosmanen

(2016) Finlândia | 96 minutos | 12 anos

Sinopse | No verão de 1962, Olli Mäki tem a chance de disputar o título mundial de boxe na categoria peso-pena. A única coisa que Mäki precisa fazer é perder peso e se concentrar. Mas há apenas um problema: Olli está perdidamente apaixonado por Raija.

THE FEMINIST

Direção | Hampus Linder

(2018) Suécia | 90 min | Documentário

Sinopse | Super-heroína ou vilã – Na Suécia, todo mundo tem uma opinião sobre a pioneira feminista Gudrun Schyman. Ela passou por todos os altos e baixos da vida política: uma assistente social subindo para liderar o partido de esquerda e registrar resultados eleitorais; publicamente envergonhada por sua luta contra o vício; superando seus demônios e fundando o primeiro partido feminista da Europa.

DEPARTMENTO Q (O AUSENTE)

Direção| Mikkel Norgaard

(2014) Dinamarca | 119 min | 16 anos

Department Q é uma série policial dinamarquesa produzida pela empresa de Lars Von Trier, Zentropa. A série se destaca pela complexidade na solução de crimes misteriosos e na relação entre seus dois principais personagens, o sofrido detetive de homicídios Carl Mørk (Nikolaj Lie Kaas) atormentado por uma obsessiva necessidade de trabalhar e seu bem humorado companheiro Assad (Fares Fares).

Sinopse: EmO Ausente, a dupla de detetives tem a missão de desvendar o que realmente aconteceu nos anos 90, em um dos colégios internos mais prestigiados do país.

ANORI – ANORI

Direção | Pipaluk Jorgensen

(2018) Groenlândia | 85 min | 14 anos

Inédito no país, este é o 1º longa escrito, produzido e dirigido por uma mulher na Groenlândia.O filme se passa entre as incríveis paisagens da Groenlândia e a intensamente lotada Nova York.

Sinopse |  Anori é uma cantora que vive na capital da Groenlândia Nuuk, em uma turnê, ela conhece Inuk, um charmoso soldado do comando ártico. A história de amor começa, mas quando Inuk sofre um acidente na costa de Nova York, Anori é confrontada pelas forças sombrias da natureza, e viaja para Nova York para trazer Inuk para casa.