Você está visitando o Instituto Cultural da Dinamarca no Brasil.  Explore outros lugares no mundo onde também trabalhamos. Created with Sketch.
EN/PT-BR
Tema | 2016

Dança DK

Dança DK foi desenvolvida em cooperação com a dançarina profissional e professora universitária Deborah Dodd Macedo, e é construído em torno de três valores fundamentais: democracia, participação e diálogo

O Instituto Cultural da Dinamarca no Brasil tem nos últimos anos trabalhado uma estratégia, onde áreas especiais têm o seu próprio perfil – o chamado projeto guarda-chuva. Cada um tem um nome e uma identidade visual que oferece uma gama de atividades e outros projetos. O projeto guarda-chuva Dança DK traz a oportunidade para a criação de um mundo da dança, onde os participantes podem experimentar residências, performances, co-criação dinamarquês / brasileiro, master class, performances de arte e interação na esfera pública, performances escolares para jovens estudantes, inclusão social e a fusão entre “artes” e “educação” de novas maneiras interculturais.

 

Dança DK foi desenvolvida em cooperação com a dançarina profissional e professora universitária Deborah Dodd Macedo, e é construído em torno de três valores fundamentais: democracia, participação e diálogo. O projeto envolve grupos de dança profissionais, estudantes universitários, jovens bailarinos brasileiros de áreas carentes e instituições educacionais de ensino superior dentro das artes de palco em ambos os países.

 

Nesse primeiro ano de Dança DK já oferece vários projetos incríveis.

 

Seminário “Dança Educação Dinamarca-Brasil”

O projeto foi inaugurado oficialmente em março deste ano, com o seminário “Dança Educação Dinamarca – Brasil”, realizada na capital do Brasil, Brasília. Oito estudantes e dois professores da Escola Nacional de Artes Cênicas (SSKS) e do Departamento de Música de Acompanhamento para Dança (MAD) visitaram o Instituto Federal de Brasília (IFB) e a Universidade de Brasília (UnB). A viagem de estudo foi um sucesso e o trampolim para um plano de cooperação de cinco anos entre as duas instituições. Durante a semana, o projeto alcançou cerca de 600 crianças, estudantes universitários, professores e artistas.

 

Em agosto, Kim Helweg, o compositor e líder da MAD fará um workshop de uma semana sobre a composição em dança na IFB. O projeto foi financiado pelas próprias instituições, mas a SSKS está trabalhando em uma aplicação para o Programa Erasmus Plus, a fim de estabelecer um curso de três anos, com início previsto em 2018.

 

O nível de educação do Departamento de Música de acompanhamento para dança na Escola Nacional de Artes Cênicas é de mestrado, que incide sobre a relação entre música e dança em interação durante toda a fase de composição, improvisação, produção e desempenho. O sucesso dessa parceria foi realmente surpreendente, principalmente para os estudantes de música da UnB que trocaram experiências com os músicos dinamarqueses e se familiarizaram com os diferentes ambientes entre movimento e música.

 

Granhøj Dans visita São Paulo

O próximo projeto como parte da Dança DK será a companhia de dança premiada, Granhøj Dans, que serão recebidos em São Paulo e Lima, no Peru, durante os meses de junho e julho. Junto com a produtora, Patricia Alves Braga, o ICD cuida da parte no Brasil, onde a Cia, entre outros, vai apresentar o mais recente trabalho do coreógrafo Palle Granhøj, Petrushka no SESC Vila Mariana. O coreógrafo premiado também fará um workshop no dia 7 de julho.

 

Lilibeth Cuenca Rasmussen fará performance baseado na arquitetura do Oscar Neymeyer

A Lilibeth Cuenca Rasmussen está ganhando os corações dos brasileiros. Ela já veio para o Brasil três vezes, entre outros para o festival Multiplicidade em 2014 e Largo das Artes em 2015. Em setembro desse ano, ela estará de volta, dessa vez em Brasília para fazer um programa artístico com alunos da IFB em Brasília, e IFG em Goiânia, que vai terminar com uma apresentação em um espaço público em Brasília. O projeto trabalha com a relação entre o corpo e a arquitetura de Niemeyer (Brasília é um Patrimônio Mundial da UNESCO). Uma integração com a Escola Nacional de Artes Cénicas na Dinamarca como um reflexo do projeto em um contexto dinamarquês seria realmente interessante e estamos trabalhando para torná-lo possível. Além disso, estudantes da Bergen Academy of Arts and Design, onde Lilibeth Cuenca Rasmussen ensina, estão incluídos na apresentação.

 

Uppercut Dance & DF Zulu Breakers em Brasília

O ano de 2016 termina com o CRASH, um espetáculo de dança, no qual as primeiras sementes foram plantadas como um projeto durante a conferência Dance and the Child International (DaCi) em Copenhague, em Julho de 2015. DaCI é uma organização que faz parte da UNESCO e trabalha internacionalmente com o ensino de dança. Durante a conferência, a Cia. Uppercut Dance Theatre convidou três dançarinos do DF Zulu Breakers para Copenhague e desenvolver uma apresentação de dez minutos durante a conferência de interação física com os dançarinos do Uppercut.

 

Esta experiência foi muito inspiradora para os artistas envolvidos, e em novembro, a Uppercut vai chegar a Brasília para desenvolver um show de 45 minutos para jovens, em colaboração com DF Zulu Breakers. A apresentação será exibida em seis performances escolares, nos teatros da organização SESC, nas cidades satélites de Ceilândia, Gama e Taguatinga contando com mais duas apresentações no centro de Brasília. Além disso, a Uppercut e seus parceiros brasileiros farão workshops para os jovens estudantes durante as apresentações nas escolas.

 

A música no show é um projeto de educação e co-criação Dinamarquês-Brasileiro combinado, como descrito acima. O trabalho vai ser objeto de atribuição final dos alunos do MAD. Com o CRASH, a Uppercut visa um tour na Dinamarca e uma série de performances durante a celebração de cinco anos da casa do Uppercut, Dansekapellet, no noroeste de Copenhague. A esperança é cumprir o projeto e se apresentar na próxima conferência DaCI, na Austrália em 2018.